sábado, 18 de outubro de 2008

De Santiago a Santiago

Os azares na primavera de Santiago


Depois de um dia de aeroporto, chegamos a Santiago pela meia noite.
Durante o vôo o comandante falou duas vezes, ambas para dar o resultado do jogo de futebol Chile-Argentina, festejando a vitória do Chile.
Os passageiros aplaudiram aos gritos das duas vezes. Na chegada a Santiago, grande animação nas ruas, apesar de passar da uma da manhã. Parece que foi um feito histórico para o futebol Chileno.

Nós não estavamos assim tão contentes. O hotel La Sebastiana em Las Condes, marcado desde há meses, em resposta ao nosso email a comunicar a hora da chegada, comunicou-nos que não sabiam da nossa reserva e que não tinham vagas !!!!.
Enfim, esta ainda não nos tinha acontecido, chegar a um local à uma da manhã e o hotel ter resolvido anular a nossa reserva e feito ouvidos de mercador ao nosso "voucher": não tinham quartos. O "overbooking" já chegou aos hoteis. Que pesadelo!

O Hotel La Sebastiana, apesar da sua reputação e situação privilegiada, teve acesso imediato à nossa secção de "Os tesourinhos deprimentes".

Os jornais só falam da vitória do Chile em futebol, da demissão da Ministra da Saúde por um problema de deficiente despistagem de doentes seropositivos, e da popularidade de Lula considerado o estadista mais reputado da América so Sul. Até o novo primeiro ministro do Peru promete "uma política à Lula".

Tinhamos várias fotos do dia, mas fomos assaltados no metro. Ainda não arranjamos coragem para decidir se compramos outra máquina, nem certeza que não será de novo roubada... a máquina foi roubada de um estojo que estava metida no cinto e até tinha um fecho. Roubaram a máquina e até se deram ao luxo de voltar a correr o fecho. Só demos por falta dela já no hotel.

O tempo está fantástico, uma primavera deliciosa, saborozissima depois do frio húmido do Peru. Vamos ver se alguma coisa começa a correr bem para além do tempo!

1 comentário:

Mafalda disse...

Olá Professora,

Apesar de estar a correr tudo bem na vossa viagem, deve ter sido uma grande surpresa ser
assaltado sem se dar por isso... e apesar de nenhuma maneira ser boa para se ser
assaltado, talvez seja melhor sem se dar por isso, do que passar pelo susto e confronto
de se dar por isso na altura e eventualmente passar por alguma ameaça daquelas que por
breves segundos trazem as nossas memórias ao pensamento :)
Espero que episódios como este não voltem a acontecer, queremos tê-la de volta sã e salva
para nos atulhar o e-mail e nos divertir com o trabalho na equipa que teima em não
abrandar :))))
Temos andado por cá com muito trabalhinho, sem grande tempo para pausar, mas no fundo nós
até gostamos deste ritmo, acho que nem sabemos estar de outra maneira, talvez seja pelos
bons exemplos que nos rodeiam e nos estimulam a produzir e melhorar cada vez mais!

Obrigada por tudo,

beijinhos grandes e muitas saudades